domingo, 18 de fevereiro de 2018

É tudo culpa do PT!


Acho impressionante o cinismo de certas pessoas. O Vampirão Neoliberalista trai o PT, trai o eleitorado, dá um Golpe de Estado, adota uma agenda totalmente antipopular pró-mercado e ainda vem neguinho dizer que tudo que está acontecendo aí é "culpa do PT". Infelizmente, até pessoas de esquerda estão indo nessa onda, alegando que foi Lula que indicou Temer como vice da Dilma e que quem votou na Dilma, votou no Temer. Tudo bem que a direita olavista diga tais absurdos, porque ela é covarde e burra. Mas gente de esquerda dizer que o PT "quebrou" o Brasil? Pelamor, né?


Quer saber o que foi culpa do PT? A revolução do Iogurte e do Frango! É isso aí: graças aos programas de redistribuição de renda implantados pelo PT, a população carente passou, pela primeira vez na história, a ter dinheiro para comprar iogurte e frango, que sempre foram alimentos exclusivos da classe média. Os beneficiados pelos programas sociais, em especial o Bolsa Família, passaram a comprar também eletrodomésticos que jamais tiveram, como geladeira e computador. Isso sem falar da redução da extrema pobreza e da inclusão social trazidas pelos programas assistencialistas do PT.

Isso, sim, é tudo culpa do PT!

Se você tem essa mania feia de dizer que tudo de desgraça que acontece no Brasil é culpa do PT, por favor, pare com isso. É claro que o PT errou várias vezes, mas achar que "o PT comprou a Paraíso de Tuiuti" ou que a música "Vai dar PT" foi financiada por Lula é algo que só faz as pessoas sentirem vergonha alheia de você. Oposição conspiracionista e tresloucada é de tudo que o PT precisa para voltar novamente ao poder. O antipetista alucinado é o maior cabo eleitoral do PT. Quem critica algo com mentiras, só está fortalecendo este algo.

Já deu, né?

sábado, 17 de fevereiro de 2018

O medo ameaça


O jornalista e escritor uruguaio Eduardo Galeano tem um poema célebre que mostra porque o medo é a maior de todas as prisões:

O Medo Ameaça

Se você ama, terá Aids.
Se fuma, terá câncer.
Se respira, terá contaminação.
Se bebe, terá acidentes.
Se come, terá colesterol.
Se fala, terá desemprego.
Se caminha, terá violência.
Se pensa, terá angústia.
Se duvida, terá loucura.
Se sente, terá solidão.


 
 

Enfim, a vida não é tão trágica quanto aquela canção do mamute. Não deixe o medo controlar a sua vida. Liberte-se!

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

A tara por intervenção militar não tem limites


A intervenção federal no Rio de Janeiro decretada pelo Vampirão Neoliberalista acabou atiçando os ânimos dos coxinhas pró-ditadura militar. A notícia provocou uma certa euforia nos reaças, porque a intervenção militar no Rio pode ser o primeiro passo para uma intervenção militar federal. Depois da decepção de ter o bloco em homenagem à ditadura suspenso, restou aos reacionários se contentarem com a intervenção no Rio para fazer mais propaganda de um novo golpe militar. Ora, se gostam tanto de uma ditadura, por que não vão morar na Coreia do Norte? Por que votam? Golpe militar é um delírio macabro de um bando de loucos que acham que na ditadura não existia corrupção ou que ela só matava "vagabundos". Esses coxinhas que têm fetiche por coturnos e paus-de-arara não passam de um bando de fascistas despolitizados que querem mesmo é que os bandidos sejam trucidados pelos fuzis dos militares. Não estão nem aí para melhorar a situação social do país ou em combater os grandes mafiosos que usam terno e gravata. Não existe patriotismo naqueles que desejam a eliminação da pobreza e da violência com mais violência. Esses coxinhas são um bando de hipócritas: são o esgoto social brasileiro.

Fascistas precisam ter a sua bandeira desmascarada:

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

A íntima ligação entre desigualdade e criminalidade


O aumento da desigualdade social é uma das principais causas para o aumento da violência e da criminalidade, fato. A evidência disso é que a maior parte dos pequenos delitos cometidos no Brasil (assaltos, roubos e furtos) são praticados por jovens pobres e negros. Não por acaso, negros e indígenas são os mais afetados pela pobreza no Brasil, segundo a ONU. Apesar da queda da extrema pobreza entre os negros desde 2003, eles ainda são as maiores vítimas da desigualdade social (como mostra o gráfico abaixo). Sem emprego, sem renda, sem qualificação, sem oportunidades e até sem comida, os mais pobres se veem numa sinuca de bico onde apelar para a criminalidade, infelizmente, deixa de ser uma escolha para se tornar a única chance de sobrevivência.

Negros, índios e pardos recebem menos que brancos e amarelos

Sempre que eu trago os dados acima envolvendo pobreza, criminalidade e cor da pele, os reaças e a direita modinha ficam possessos e me acusam de ser "esquerdopata" ou até mesmo de "racista", citando sites reacionários e liberais para tentar me refutar. A direita, como já cansei de alertar, precisa mascarar e distorcer a realidade para manter o velho mantra de que o crime (ou a criminalidade) é sempre culpa do indivíduo e nunca da sociedade. Os reaças nunca consideram a omissão do Estado burguês em cuidar das pessoas e nunca assumem os próprios privilégios em sua defesa cega pela meritocracia. Porém, contra fatos não há argumentos.
A relação entre pobreza extrema e criminalidade é tão evidente, que o furto famélico não é considerado crime se for comprovado o estado de necessidade. E mesmo os trabalhadores que ganham alguma renda, viver com um salário mínimo de menos de R$ 980 num país onde seria necessário no mínimo R$ 3.752 para sustentar uma família de quatro pessoas é um ato verdadeiramente homérico. Isso porque eu nem contei ainda que metade da população brasileira vive com MENOS de um salário mínimo. Daí eu te questiono: como uma pessoa pode ter o mínimo para viver com dignidade recebendo um salário 4 vezes menor que o necessário? Vai me dizer que isso não gera revolta? Vai me dizer que impor a desigualdade não é uma violência?

Já imaginou viver em um mundo onde você nunca terá o que a classe média tem?

Apesar da pobreza por si só não ser a causa da violência, a sensação de injustiça social causada pela desigualdade extrema leva, via de regra, à criminalidade. O consumismo e a ostentação de bens materiais que ocorre no capitalismo brasileiro é uma das principais causas para agravar este problema. Como disse o psicanalista e professor de Medicina Social da UERJ, Benilton Bezerra Júnior: "Somente numa cultura que enaltece a posse do dinheiro e bens como expressão de sucesso, de uma vida digna de ser vivida, a pobreza tende a ser vivida como exprimindo o contrário. Num contexto como esse, a pobreza não implica apenas restrição material, mas, sobretudo, uma restrição simbólica [moral], e como tal precisa ser negada de qualquer forma, mesmo com o recurso à violência."

Como você pensa?

A reação mais comum de quem sofre um assalto é a indignação contra aquele que cometeu o delito. Se pensa em vingança, em prisão perpétua, em redução da maioridade penal, em armar a população e até em pena de morte contra o jovem infrator. Mas ninguém pensa que a criminalidade tem, em sua origem primordial, a desigualdade social como principal fomentadora. As soluções fáceis (punitivas e imediatistas) apontadas pela direita não resolvem o problema da violência. O que resolve o problema da violência são políticas públicas de inclusão social: políticas essas que no Brasil, infelizmente, são defendidas exclusivamente pela esquerda. Os filhos do proletariado, os filhos da escravidão, nunca terão uma vida decente enquanto não lutarmos por políticas que combatam as desigualdades sociais e por um Estado que, ao invés de reprimir com violência, cuide das pessoas mais carentes.
Como eu bem disse em uma das minhas músicas mais politizadas: 'O moleque que roubou a carteira de um trabalhador não é culpado: ele é vítima de um sistema desigual e opressor'. E antes que venham com calúnias: bandidos podem e devem responder pelos seus crimes, mas não podemos ser ingênuos de achar que apenas punindo resolveremos o problema da violência no país. O buraco é bem mais embaixo.

E depois ainda me perguntam por que eu sou de esquerda...


quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

O Universo veio de onde?


Existe um dilema filosófico muito profundo envolvendo a origem do universo. Esse dilema é o seguinte:
1 - O universo veio do nada?
2 - Ou o universo sempre existiu?

Por dedução lógica, podemos concluir que a primeira opção – a de que o universo veio do nada – é um paradoxo. Isso porque do nada, nada vem. O nada não gera outra coisa que não seja ele mesmo. Além disso, antes do universo não existia a relação de causa e efeito pelo simples fato de não existir o tempo – tempo este que começou a existir a partir do Big Bang. Portanto, mesmo que fosse possível, não havia tempo para o nada gerar algo.
Então nos resta a segunda possibilidade, a de que o universo sempre existiu. Porém, essa opção também está errada, porque o universo teve, sim, um começo no Big Bang. Então o que nos resta?

Teria o universo se originado de um microverso?

Tudo nos leva a crer que há algo além do universo conhecido. Se o universo não teve um começo e ele também não pode ter surgido do nada, então algo que existia antes dele provavelmente o originou. A partir desta possibilidade, temos algumas hipóteses interessantes para explicar o que causou o Big Bang. Essas hipóteses podem ser expressas nas seguintes questões:

-Existe um Multiverso?
-O nosso universo está dentro de um buraco negro de outro universo?
-Vivemos em uma simulação estilo 'Matrix' criada por um supercomputador do futuro?
-Universo é pandimensional e percebemos apenas a parte tridimensional dele?

Todas as opções acima podem estar corretas. Isso porque é possível que exista um multiverso formado por infinitos universos paralelos onde o nosso é apenas um deles. Este multiverso não teria tido começo e existira dentro de um hiperespaço infinito. Apesar de não haver evidência da existência de um multiverso, esta hipótese é bastante debatida entre os cientistas.
É possível também que existam mais dimensões além das quatro que conhecemos (largura, altura, comprimento e tempo) formando p-branas. Essa possibilidade é discutida dentro da Teoria das Supercordas e pode servir para explicar fenômenos aparentemente sem sentido, como o Princípio da Incerteza e até mesmo a matéria escura. Um universo pandimensional pode, inclusive esconder a sua origem em uma das dimensões não observadas onde as leis da física podem obedecer a parâmetros desconhecidos. Essa hipótese é particularmente interessante porque pode ser a chave para criar a Teoria de Tudo, que unificaria em uma só estrutura teórica a mecânica quântica e a relatividade geral.

Universos paralelos?

O universo também pode estar dentro de um buraco negro e o Big Bang teria sido a explosão do mesmo, o que poderíamos chamar hipoteticamente de "buraco branco". Só que neste caso, estaríamos dentro de um outro universo que poderia também estar dentro de outro e assim indefinidamente, como uma espécie de 'matrioska cósmica'.
E a possibilidade mais intrigante, na minha opinião, é a da simulação, onde o nosso universo estaria sendo emulado em algum supercomputador quântico do futuro. Se analisarmos o universo do ponto de vista matemático, há a sensação muito forte de que tudo ocorre de maneira muito semelhante a um ambiente simulado, obedecendo a leis, limites e constantes específicas. Inclusive, esta percepção corrobora com a visão teísta da Sintonia Fina, onde as constantes cosmológicas estão perfeitamente alinhadas para que tudo seja bonito, ordenado e favorável à vida no cosmo. É possível que o universo tenha sido, por exemplo, um experimento de cientistas que estão fazendo algum tipo de projeto de simulação para fins acadêmicos. Hoje, aliás, já fazemos simulações do universo com certa precisão para fins de estudo. O que dizer então de uma civilização que esteja milhões (ou bilhões) de anos à frente da nossa tecnologicamente falando... Como já dizia Arthur C. Clarke: "Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinta da magia". 
O vídeo abaixo mostra o que já somos capazes de fazer a nível de simulação cósmica:



Enfim, qual seria a hipótese mais coerente para explicar a origem do universo?