quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Ofertas da Igreja Mundial!


Eu sei que isso já está ficando repetitivo, mas tem coisas que são tão absurdas que não têm como ser ignoradas.
A seguir vou deixar dois vídeos mostrando duas ofertas da Igreja Mundial: primeiro uma Meia Milagrosa de R$ 153 e depois um Martelo Sagrado de R$ 1.000. Só vendo para crer!





E ainda há quem diga que...


segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Vende-se terrenos no céu!

Documento assinado por Jesus Cristo

Quando você pensa que já viu de tudo, vem um pastor da IURD e oferece pela tevê um Contrato de Fé de Compra com Deus. Isso nada mais é que a venda de terrenos no céu para os fiéis. Claro que aí estão incluídos outros benefícios, como proteção contra sarampo, torcicolo e hemorroidas.
Se não acredita, então veja o vídeo abaixo:

video

São quatro tipos de carnês: o "Puxadinho no Paraíso" (R$ 199,90 por mês), "Meia-água nos céus (R$ 399,90), "Sobrado no bairro de Javé" (R$ 599,90) e "Mansão ao lado do castelo de Jesus" (R$ 999,99). Você escolhe um desses segundo as suas condições, a sua fé em Deus e a vontade em ajudar.
Jesus lhe dará até mesmo a chance de escolher entre um dos 4 planos divinos da salvação imediata:


1.Promocional Econômico 
Terreno no Céu (mesma rua de São Pedro), proteção contra: encosto, câncer de próstata, raiva, catapora, malária, morte por atropelamento, afogamento (somente em água doce) e um dia de visita no inferno, com direito a uma tarde gratuita no SPA “Recanto de Satanás“.

2.Simples 1
Terreno no céu (se tiver sorte dá pra ver Jesus de manhã tomando café), proteção contra: tudo do promocional + hepatite C, sarampo, caxumba, torcicolo, distensão muscular, coriza nasal, hemorroidas, morte por queda livre, afogamento no mar, 8 tipos de câncer, e alguns tipos de doenças hereditárias.

3.Simples Plus
Terreno no céu (de esquina, mesma quadra de Jesus e 15 min de José e Maria), direito a 1 exorcismo por semana, proteção contra: tudo do Simples 1 + resfriados, dor de garganta, 15 tipo de câncer, mau-olhado, Aids, melhora sua visão, postura, arcada dentária e muito mais.

4.VIP
Terreno no Céu (Mesmo condomínio de Deus), proteção contra 50% das doenças conhecidas pelo homem incluindo impotência sexual, todos os tipos de mortes antes dos 50 anos, incluindo suicídio (devolvemos seu dinheiro se você conseguir), contra chifre, sogra, cerveja quente e 80% dos jogos do seu time irão passar na TV.

Aproveite a promoção e adquira também:
Passaporte para o céu: R$ 850,00 (Parcelado em 3 vezes no cartão de crédito) .
Obs: Crente sem passaporte está sujeito a deportação diretamente para as profundezas dos infernos por não estar devidamente documentado para entrada nos céus.
Metragem do terreno no céu com vista para o mar: R$: 8.000,00. (Em caso de metros² o preço fica à combinar)
Aluguel de apartamento com vista para os anjos: R$: 583,00 mensais.
(fonte: blibliaeaciencia)
Tem coisas que só a religião faz por você

Se ficou interessado, no site reserveaspotinheaven você também pode garantir o seu terreno no Paraíso em uma compra online.


sábado, 22 de setembro de 2012

Por que não gosto de relacionamentos

Será que o amor é tão lindo assim?

Já fui questionado algumas vezes sobre o porquê de eu não querer mais saber de relacionamentos e vou tentar responder essa pergunta da forma mais direta e franca possível.
A razão principal pela qual eu não gosto de relacionamentos é que eu não me sinto feliz quando os vivencio. A solteirice é um estado de espírito que me traz muito mais conforto, liberdade, estabilidade e tranquilidade. E como eu não troco liberdade por segurança, então a minha decisão de não me relacionar acaba virando também uma questão ideológica. Não tenho nada contra quem gosta de namorar ou quem é feliz sendo casado e acho que esses relacionamentos são bastante saudáveis e importantes em determinados aspectos de nossas vidas, mas eu, Wellington Fernando, não tenho mais motivos racionais para encarar esse tipo de relação.
E antes que venham com teorias estapafúrdias, eu sou heterossexual, não tenho problemas para me relacionar e não sofro de nenhuma disfunção ou distúrbio sexual. Eu sou apenas um ser livre e que pensa duas vezes antes de agir.

Risco nº 1 do namoro: Virar escravo

Para deixar essa postagem mais completa, vou pontuar os principais motivos pelos quais eu tenho tanta aversão a relacionamentos afetivos. Eu coloquei os prós e contra numa balança e vou mostrar as nove razões que mais pesaram para que eu chegasse a essa decisão.

1º - Perda da liberdade
Creio que este seja o item que mais pesa para a maioria das pessoas que está em dúvida antes de iniciar um relacionamento. Além da perda da liberdade de sair para onde quiser com os amigos ou de sair sozinho sem dar maiores satisfações, tem também, muitas vezes, a implicância da parceira com relação a nossa forma de se vestir e até mesmo de se expressar. Para mim é um anátema ter as minhas atividades controladas passo a passo, seja no mundo real ou no mundo virtual. E pior que isso são aqueles 'programas de índio' que a mulherada arruma para os seus namorados, como ir juntinho ao show do Raça Negra justo na véspera da prova final da faculdade.

2º - Falta de tempo
Um homem que estuda, trabalha, escreve num blog, grava vídeos pro Youtube, joga videogame, assiste séries e gosta de sair de vez em quando para se divertir com os amigos praticamente não tem tempo algum para se dedicar a um relacionamento. Só o tempo que se gasta para ir ao encontro da namorada andando de carro ou de ônibus pode ser frustrante dependendo do tamanho do engarrafamento. Por conta da correria do nosso dia a dia, temos pouco tempo para investir em um relacionamento - a menos que estejamos dispostos a sacrificar alguma coisa importante ou que gostamos de fazer para nos dedicarmos ao romance.


Risco nº 2 do namoro: Virar corno

3º - Desgaste emocional
Para mim é masoquismo ter que aguentar as TPMs da companheira, os problemas da família dela, os problemas das amigas dela, os problemas do trabalho dela, ter que ser tolerante com ciúmes, aturar brigas, aguentar estresse, chantagens, vinganças, grosserias, mau humor, implicância... Isso tudo sem incluir, claro, a famigerada DR (discussão de relacionamento). Se dispor a sofrer com essas mazelas emocionais é algo tão incompreensível para mim quanto um quadrado de cinco lados.


Risco nº 3 do namoro: Ataques de ciúme


4º - Suicídio sexual
Quem leu o meu post Namoradas ou prostitutas, eis a questão, já deve saber as razões pelas quais eu acho uma porcaria o sexo não pago. O nível do sexo com amor é consideravelmente inferior (na maioria dos casos) ao que pode ser realizado no sexo pago. Só é convicto do contrário quem nunca pagou uma garota de programa decente. E além disso, o sexo nos relacionamentos tende a virar uma moeda de troca, onde a mulher cede para o marido somente depois de explorá-lo. Pior que tudo isso é o tal exclusivismo (fidelidade), que obriga o casal a passar o resto da vida fazendo aquele sexo borocoxô e a viver com peso na consciência caso pule a cerca. Não é porque a gente está com uma pessoa que o desejo por todas as outras desaparece.


Risco nº 4 do namoro: Greve de sexo


5º - Intimidade
Como já desenrolei no post Intimidade, tô fora!, poucas coisas são tão desagradáveis quanto inalar o mau hálito da companheira pela manhã, ser testemunha de flatulências, sentir odores desagradáveis e ver calcinhas molhadas penduradas na pia. Afinal, nada mais romântico do que escovar os dentes escutando o cocô do seu amor caindo na água da privada. :/

6º - Custo alto
Como mencionei no post Qual é o preço do amor, o namoro - ou pior ainda: o casamento - tem um custo econômico muito elevado. Gasta-se com presentes, com conta de celular, com cinema, passeios, lanches, bares, restaurantes, motéis e muitas outras coisinhas que passam despercebidas. O dinheiro que eu poderia estar investindo em mim, na minha carreira ou com a minha família terá que ser compartilhado com alguém que um dia poderá me dar como retribuição um lindo par de chifres.


Risco nº 5 do namoro: Sogra

7º - Bens materiais
É muito complicado namorar hoje em dia sem ter pelo menos um automóvel e um aparelho celular. Eu odeio aparelhos celulares e mesmo quando tinha um, só o usava mesmo para jogar videogame. Outro problema é o automóvel, porque sair com a namorada a pé ou de ônibus não é lá muito romântico (principalmente para ir ao motel). Eu não tenho carro, não gosto de carro e acho que um veículo pessoal traz despesas e dores de cabeça demais, assim como detalhei melhor no post Carro pra quê?

Risco nº 6 do namoro: Exames de paternidade

8º - Razões pessoais
Ao contrário do que as novelas e filmes defendem insistentemente, eu não preciso de outra pessoa na minha vida para me sentir feliz. A presença dos meus amigos, colegas, familiares e bichos de estimação já me bastam como companhia. Eu também sou um cidadão chato, mal humorado, teimoso e meio preguiçoso. Realmente é preciso muita falta de amor próprio para conseguir conviver comigo.
E como se tudo isso não fosse o suficiente, para minha desgraça, eu sou heterossexual. Se você está achando isso engraçado ou esquisito, por obséquio, leia o meu post Homos ou héteros, quem é mais feliz no sexo? e entenda por que os heterossexuais são geralmente menos felizes nos seus relacionamentos que os homossexuais.


9º - Final infeliz
Por mais que alguém tente argumentar o contrário, nenhuma história de amor tem final feliz! Todo relacionamento termina mal, pois ou um dia se separam, ou um dos dois morre. É aquela velha história: ou se divorcia, ou vira viúvo, ou morre antes do cônjuge - não há outras opções. Para que eu vou investir numa história que eu tenho certeza absoluta que vai terminar mal?

Risco nº 7 do namoro: Abandono.

Concluindo
Eu não quero me casar e muito menos formar uma família. Eu quero ser um solteirão e fazer jus ao meu hedonismo. Quanto à questão de não ter filhos, isso é um antigo ideal meu. Se um dia eu cismar de ter filhos, pode apostar que esses filhos serão ADOTADOS, assim como eu fui (sim, sou filho adotivo). Tem muitas crianças jogadas nas ruas e precisando de uma família, por isso acho absolutamente estúpido "fazer" mais crianças só para dizer que elas têm o meu sangue.

Como eu já disse em outros posts, eu sou uma metamorfose ambulante e posso mudar de ideia um dia. Mas vai ser necessária uma mudança muito profunda e radical no meu modo de pensar para que eu aceite tolerar todas essas desgraças citadas acima em troca de um pouquinho de segurança afetiva.


Para rir:
As 37 vantagens em namorar

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

E se Deus existir?


Uma pergunta muito recorrente a todos os descrentes é: E se você estiver errado? Eu confesso que não tenho como ter 100% de certeza de que o deus bíblico não existe, por isso, devo admitir as consequências caso eu esteja errado. Porém, eu não tenho medo algum de tal fato, porque tenho a consciência tranquila de que vivi a minha vida de forma moralmente correta e também acho que por pior que seja o inferno, ele não seria um lugar tão ruim assim. Explico melhor adiante.


"Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus." (Bíblia, Mateus 10:32-33)


Segundo o próprio livro sagrado dos cristãos, todo aquele que não crê no deus bíblico irá para o inferno após a morte. Não importa o quão correto você tenha sido em vida, pois se não tiver acreditado no deus cristão, o seu destino após a morte será a tortura eterna.
Aliás, essa ideia sempre me pareceu uma espécie de controle coercitivo através do terrorismo psicológico. Isso nada mais representa que uma falácia de apelo ao medo para manter o poderio político e social das igrejas.



"Para que os santos possam desfrutar de sua beatitude e da graça de Deus mais abundantemente, lhes é permitido ver o sofrimento dos condenados no inferno” (Tomás de Aquino, 1225-1274, “Summa Theologica”)



Recepção aos descrentes
Mas pois bem, e se eu estiver errado?
Bom, se eu estiver errado, então é mais um inferno que eu vou ter que encarar após a morte. Além dos infernos judeu, islâmico e hindu, terei que encarar também o inferno cristão. Não sei como poderei estar em tantos infernos diferentes ao mesmo tempo, mas enfim, vou tentar me abstrair mesmo assim para dar uma resposta.
Se o deus cristão existir, então eu serei o mais sincero possível com Ele, alegando que nunca houve evidência alguma de Sua existência e que tudo que eu aprendi na vida me levou à conclusão de que a Sua presença era desnecessária em um universo que funciona sozinho.
Eu também diria que um livro modificado por Constantino, anacrônico e abarrotado de contradições não poderia ser usado como prova da existência de um deus. Aliás, mesmo que existisse, eu jamais adoraria um deus racista que considera os judeus como sendo o único povo escolhido e que, mesmo assim, ainda os abandonou durante o holocausto. Isso sem mencionar as incalculáveis barbáries, chacinas e genocídios que foram cometidos com o aval desse deus.
Eu tenho plena consciência de que procurei ser o mais correto, o mais solidário e o mais altruísta possível durante a minha vida, de modo que se esse deus bíblico realmente existir, Ele vai viver eternamente com um peso na consciência por ter mandado uma pessoa honesta e humanista para queimar no inferno.

E como será a minha vida no inferno?
Toma cuidado, Capiroto!
Um dia desses eu estive pensando como deve ser o inferno. Pessoas como Albert Einstein, Friedrich Nietzsche, Carl Sagan, Hipatia, Charles Darwin, Richard Dawkins, Alan Turing e Stephen Hawking certamente também estarão por lá. Somente isso já seria consolador para mim, já que seria uma honra estar ao lado dessas personalidades, mesmo que num lugar desagradável. Além disso, muitos dos meus amigos de outras religiões e irreligiosos também estariam no inferno. Certamente, todos nós iríamos nos unir para dar um golpe de estado no inferno e tomar o poder do Diabo. Assim, transformaríamos o inferno num lugar bem melhor e menos entediante que um monte de anjinhos tocando harpa e crentes rezando sem parar. E sem querer ser mala: nós iríamos patentear o combustível que mantém as chamas do inferno acesas para vendermos a preço de ouro para o paraíso! Rarará!

domingo, 16 de setembro de 2012

As pérolas da bancada evangélica

Como a bancada está dividida (clique para ampliar)

Veja abaixo o desserviço social que a bancada evangélica está prestando ao nosso país e ao estado laico, usando, claro, o SEU DINHEIRO:

Lei do Pai Nosso
Essa lei obrigou os alunos do ensino fundamental de Ilhéus-BA e de Apucarana-PR a rezarem o Pai Nosso antes de todas as aulas. Os autores da proposta são o vereador Alzimário Belmonte (PP-BA) que é evangélico e frequenta a Igreja Batista, e o vereador José Airton Araújo, o “Deco” (PL-PR), também evangélico.




Fontes:
http://sul21.com.br/jornal/2012/02/lei-do-pai-nosso-obriga-criancas-a-rezarem-antes-das-aulas-em-ilheus/
http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1270039&tit=Camara-aprova-lei-do-Pai-Nosso-em-escolas-de-Apucarana

"Cura" gay
Apelidado de "cura gay", o projeto, de autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica, quer vetar a validade de dois dispositivos da Resolução 1/99 do Conselho Federal de Psicologia que impedem psicólogos de usar a mídia para reforçar preconceitos ou propor tratamento para homossexuais

video

Fonte:
http://g1.globo.com/politica/noticia/2012/06/discussao-sobre-cura-gay-opoe-deputados-em-audiencia-na-camara.html


Dia do orgulho hétero
A Câmara Municipal de São Paulo aprovou o projeto de lei 294/2005, do vereador Carlos Apolinário (DEM), que institui, no município, o Dia do Orgulho Heterossexual.


Fonte:
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/08/camara-de-sp-aprova-dia-do-orgulho-hetero.html


Bolsa estupro
O deputado federal Henrique Afonso (PV-AC), evangélico, propôs a criação da “bolsa-estupro” para evitar que mulheres vítimas de violência sexual optem por fazer o aborto.


Fonte:
http://www.odiario.com/blogs/inforgospel/2011/12/09/evangelico-e-deputado-propoe-o-bolsa-estupro-para-evitar-o-aborto-confira/


Homofobia nos hemocentros
O deputado Jair Bolsonaro, do PP-RJ, afirmou que vai propor um projeto de lei que garanta que a pessoa que necessitar de transfusão de sangue possa optar por receber apenas sangue doado por um heterossexual.
Abaixo, deixo um vídeo do vlogueiro Merlim das Trevas criticando pesadamente essa proposta.


Fontes:
http://www.genizahvirtual.com/2011/07/mein-kampf-ii-jair-bolsonaro-declara.html
http://www.maringay.com.br/o-sangue-gay-tem-17-vezes-mais-chance-de-ter-aids-diz-bolsonaro/


E para fechar com chave de ouro, fica aqui o show gospel apresentado na Câmara Federal pela deputada Lauriete Rodrigues (PSC-ES):

Ligação externa:
Um país laico, com bancada evangélica (gráficos)

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

O Capeta existe?


Há muito tempo atrás, quando eu ainda era criança, li um romance chamado Robinson Crusoe, do escritor Daniel Defoe. Eu lembro que nesse livro havia um diálogo entre o protagonista e um nativo chamado Sexta-Feira, onde discutia-se sobre a religião cristã. Quando Robinson Crusoé contou a Sexta-Feira sobre o Diabo, o nativo disse algo do tipo: "Se Deus é mais forte que o Diabo, então Ele mata o Diabo com uma paulada só". Essa frase nunca me saiu da cabeça e fiquei a pensar sobre isso por anos.
O Diabo é o pai do rock
A ideia da inexistência do Diabo começou aí para mim. Realmente isso fazia sentido: pois se Deus é onipotente, onisciente e benevolente, então por que não deu um fim ao Diabo de uma vez por todas? Se o Diabo não existisse, não haveria mal no mundo. O engraçado é que Deus, onisciente que é, já sabia de antemão que o anjo Lúcifer se rebelaria contra Ele. Então tudo isso tornou-se uma grande contradição para mim. Antes mesmo de descrer no Deus bíblico, eu já tinha perdido a fé no Satanás. E a conclusão sobre essa história é que o Diabo não passa de uma invenção folclórica para justificar a maldade humana.

O inferno existe?
Ainda na minha infância, li certa vez numa das folhas do meu catecismo sobre a história de Nossa Senhora de Fátima. Para quem não conhece, essa história trata sobre as supostas aparições de Nossa Senhora na cidade de Fátima, em Portugal, onde ela havia mostrado para três crianças como era o inferno. Além da aparição para os três pastorinhos, também houve uma aparição coletiva da mesma santa para dezenas de fiéis da região. Muitos católicos consideram esse evento como sendo a prova da existência do inferno, mas para mim essa história carece de fontes confiáveis e só é contada justamente pela única instituição interessada em sua veracidade: a Igreja Católica.
Muitos teóricos da lenda dos Antigos Astronautas alegam que essa história da santa foi um fenômeno ufológico, outros alegam que foi uma fraude bolada por um padre, já outros dizem que tudo não passou de uma lenda. Independentemente dessa história ter sido real ou não, o que eu não consigo entender é como um deus justo e infinitamente misericordioso poderia atirar os seus filhos amados no inferno para lá queimarem eternamente. Como é que o fogo - algo pertencente ao mundo material - pode queimar algo imaterial (a alma)? Além disso, que justiça há em fazer alguém pagar ETERNAMENTE por algo cometido durante um tempo finito (algumas décadas de vida)?
Na minha opinião, o inferno não passa de um lugar imaginário inventado pela igreja como forma de amedrontar os fiéis e os tornar obedientes. E o engraçado é que todos aqueles que não acreditarem no cristianismo - seja por seguirem outras crenças ou por nunca terem ouvido falar no cristianismo - vão para o inferno. Estranhamente, para os muçulmanos, por exemplo, todos os cristãos é que vão para o inferno por não crerem em Allah e por não seguirem os preceitos do islamismo fundamentados pelo último profeta do deus de Abraão: Mohamed.

Exorcismo
Durante muitos séculos, a Igreja Católica exorcizou esquizofrênicos, psicóticos, sonâmbulos e doentes mentais achando que estes estavam "possuídos". Estranhamente, os tais demônios nunca se manifestam em pessoas que não eram cristãs. E muitos dos supostos "encapetados" ou "possuídos" resolveram as suas crises com medicamentos e tratamentos psiquiátricos.


Nessa diabinha eu acredito
Conclusão
A mitologia judaico-cristã é uma das piores e mais mal contadas de toda a história. O Zoroastrismo tinha uma entidade maléfica chamada Arimã que influenciou notavelmente o cristianismo, dando a ideia de dualidade entre bem e mal. Isso apenas evidencia que o cristianismo foi formado de um sincretismo religioso de bases egípcias, romanas, hebraicas e sumérias.
Essas evidências todas apenas comprovam que o capeta é tão real quanto um unicórnio cor-de-rosa invisível.

sábado, 8 de setembro de 2012

Mais defeitos do corpo humano


Como eu havia prometido, aqui segue mais uma postagem expondo os intermináveis defeitos do corpo humano. Para quem não viu o primeiro post sobre esse assunto, o link está bem aqui.
Pois bem, contrariando a teleologia, que coloca que tudo no universo tem uma função, e contrariando também o design inteligente, vou mostrar uma lista com defeitos inéditos do corpo humano.

Lubrificação ocular
Pisque um olho de cada vez
Para que os nossos olhos não ressequem, precisamos piscá-los regularmente. Uma piscada de olho dura de 290 a 750 milissegundos (ou seja, de 1/3 a 3/4 de segundo). E nós piscamos, em média, de 6 a 12 vezes por minuto (1 vez em cada 5 a 10 segundos). Se fizermos as contas, nós piscamos, em média, durante cerca 32 minutos por dia quando acordados. Uma pessoa que tenha vivido 73 anos (expectativa média de vida no Brasil) terá perdido 1 ano e sete meses da sua vida apenas piscando os olhos. Levando em consideração que ao piscarmos os olhos nós não estamos enxergando por estarmos com eles fechados, então perdemos nada menos que 8 dias por ano sem ter visto nada.
Pode parecer besteira, mas durante uma simples piscada de olho, um automóvel a 60 km/h percorre 5,55 m - o que pode ser fatal. Portanto, o nosso olho deveria autolubrificar-se sem precisar da piscada.
Solução:
Implantar olhos biônicos ou piscar um olho de cada vez.


Nem água apaga esse fogo
Acidez estomacal (azia)
O refluxo do suco gástrico para dentro do esôfago costuma ocorrer por alguma disfunção natural do próprio organismo. Porém, esse problema é tão comum que é praticamente impossível encontrar um ser humano que nunca tenha sofrido com esse desconforto pelo menos uma vez na vida. Além de não servir para nada, a azia só mostra o quão ineficaz é o nosso trato digestivo, causando queimação inútil, dor na garganta e problemas no sono.
Solução:
Implantar um esôfago de aço ou ser um eterno escravo de antiácidos.


Peristaltismo involuntário
Vai um Imosec aí?
Os movimentos involuntários dos nossos intestinos deveriam ter um modo de operação 'semiautomático', como é o caso dos nossos músculos intercostais e do diafragma, que controlam a nossa respiração também de acordo com a nossa vontade. Se pudéssemos controlar o nosso peristaltismo, reduziríamos problemas como diarreias e constipações.
Solução:
Fazer uma colostomia permanente ou ser um eterno escravo das fibras alimentares.

Nem doeu
Descontrole da dor
Sei que muitos anestesistas hão de discordar de mim nesse aspecto, mas pense bem: já imaginou que maravilhoso seria se pudéssemos controlar conscientemente as nossas dores físicas? Sentir dor é um reflexo natural e necessário para manter a nossa integridade física, mas anestesiá-la apenas com a força da vontade nos pouparia de muitas dores inúteis e prolongadas. Se você já fez alguma tatuagem, cirurgia ou sofreu queimaduras, deve entender do que eu estou falando.
Solução:
Contrabandear morfina ou sofrer uma overdose de analgésicos.


Adeus medo do escuro!
Cegueira noturna
Os seres humanos possuem uma dependência horrorosa da luz para que possam enxergar. Seria de grande utilidade para todos nós que pudéssemos enxergar no escuro tão bem quanto enxergamos durante o dia. A visão noturna baseada no calor dos objetos seria o ideal.
Solução:
Usar lentes de contato fosforescentes ou óculos infravermelhos depois do pôr do Sol.


Visão limitada
Temos um ângulo de visão de apenas 180 graus e, para piorar, a nossa visão periférica não é lá grande coisa. As aves, por exemplo, por possuírem um olho em cada lado da cabeça, têm uma visão muito mais panorâmica e rica em detalhes que a nossa.
Solução:
Desenvolver um sexto sentido para 'enxergar' os objetos sem vê-los.

Aí já é covardia, né, dona águia?


Fragilidade óssea
Se fossem mais resistentes...
Existem diversas doenças que fragilizam os ossos, mas não é com elas que estou preocupado. O problema aqui são os ossos "saudáveis" de um indivíduo adulto. O esqueleto humano possui algumas partes que são absolutamente vulneráveis, seja pela baixa resistência ou pela sua localização, tais como os metacarpos (dedos), o rádio (braços), o perônio (pernas), a clavícula (ombros) ou o próprio crânio - sem falar na famigerada fratura escafoide: provavelmente a fratura mais comum de todas.
Os nossos ossos deveriam ser feitos de algum metal leve e resistente, como o titânio, por exemplo, para reduzir a facilidade de lesões e fraturas. Os nossos ossos podem até ser leves, mas poderiam ser muito mais resistentes.
Solução:
Plagiar o Wolverine e revestir os ossos com adamantium.


Ai que inveja...
Ausência de armas naturais
Não temos garras afiadas, nossos dentes mal cortam a carne crua, não soltamos veneno, não temos uma cauda para golpear, não damos choque, nossas patadas são ridículas, não voamos, não temos chifres (exceto os mal-amados), enfim: somos uns fracotes. Se não fosse pela nossa habilidade em desenvolver armas artificiais, nem teríamos sobrevivido ao paleolítico. E essa ausência de armas faz bastante falta para uma briga, para nos defendermos de animais perigosos ou mesmo para impor respeito aos rivais.
Solução:
Plagiar o Wolverine outra vez implantando garras afiadas nos punhos.


Muita função para pouco buraco
O mesmo buraco para tudo
Nós usamos a faringe (mais especificamente a orofaringe) para respirar, falar e engolir. Ou seja: são três funções para um só buraco. O resultado disso são engasgamentos, afogamentos e mortes por asfixia da forma mais ridícula possível (lembra daquela história do velhinho que morreu entalado tomando uma sopa de ervilhas?).
Solução:
Usar uma sonda para respirar e a outra para engolir.


Pescar no esgoto é dez!
Playground no esgoto
Responda-me: que arquiteto colocaria a área de lazer do lado do esgoto? Ou pior ainda: que arquiteto projetaria a área de lazer dividindo o mesmo espaço com o esgoto? Pois é exatamente isso que ocorre com os nossos órgãos genitais e excretores: eles vivem juntinhos num casamento forçado. E quais as consequências disso? Cistites, mau cheiro, infecções e invasões não autorizadas.
Solução:
Institucionalizar um apartheid funcional entre as partes envolvidas.


Pênis
Adivinha para que serve isso
Por favor, não me xinguem de feminista e nem de lésbica pelo que eu vou dizer aqui (até porque eu sou homem), mas permita-me fazer duas perguntinhas: Por que será que mais de 70% das mulheres não sente orgasmo na penetração? E porque muitas delas precisam usar técnicas individuais para atingir o clímax?
Adivinhou a resposta? Sim, porque o pênis sozinho não é suficiente para levar uma mulher ao delírio. Daí que o sexo precisa ir muito além da penetração para ser satisfatório para as mulheres e, não raro, alguns acessórios tornam-se necessários para estimular outras regiões altamente erógenas.
Solução:
Reveja os seus conceitos.


Isso aqui dispensa comentários
Resíduos de dejetos
Bom esse aqui é para fechar com chave de bost... digo: de ouro. Você já se perguntou por que precisamos usar papel higiênico? Pois é, alguém se esqueceu de por um limpador automático perto dos nossos orifícios excretores. Diferentemente da grande maioria dos animais, nós precisamos apelar para um papel enrolado ou para um chuveirinho básico para evitar assaduras e manter a higiene lá dos países baixos.
Solução:
Bem, se o(a) querido(a) leitor(a) tiver uma ideia bacana, por favor, poste nos comentários.

Por hoje, chega.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Por que não acredito em divindades


Algumas pessoas me perguntam porque eu não acredito em deus(es) e a resposta é a mais direta possível: porque não tenho motivos racionais para acreditar que ele(s) exista(m). Eu estou ateu a todos os deuses pessoais (teístas) que me apresentaram até hoje. Porém, isso não significa dizer que os deuses pessoais não possam existir, eu apenas não tenho fé na existência deles. No caso do cristianismo, não há evidências que corroborem a existência do deus judaico-cristão. Um livro antigo abarrotado de contradições e barbáries não é suficiente para me convencer que o deus abraâmico existe.
Além de tudo, eu não preciso crer em divindades para ser ético e também não sinto falta alguma de um deus. Penso que seja totalmente desnecessária a existência de um deus pessoal e humanóide para explicar as coisas. Futuramente, pretendo fazer uma série contando em detalhes todas as razões pelas quais eu não acredito em nenhum deus, mas isso fica para outra hora.

"Graças ao telescópio e ao microscópio, a religião não oferece mais explicações para nada importante" (Christopher Hitchens)

Deuses indiferentes
Sobre os deuses impessoais, ou seja: aqueles deuses abstratos que não se revelam aos homens, eu sou absolutamente agnóstico. Esses deuses do deísmo, do panteísmo e do panenteísmo são muito nebulosos e por demais vagos para serem conceituados ou investigados. Enquanto não mostrarem hipóteses falseáveis, esses deuses permanecerão no calabouço do meu agnosticismo.

“A idéia de que Deus é um gigante barbudo de pele branca sentado no céu é ridícula. Mas se, com esse conceito, você se referir a um conjunto de leis físicas que regem o Universo, então claramente existe um Deus. Só que Ele é emocionalmente frustrante: afinal, não faz muito sentido rezar para a lei da gravidade!" (Carl Sagan)

Sobre Cristo
Não sei se Jesus realmente existiu ou se a sua história é apenas um mito. Porém, eu penso que seja muita teoria da conspiração alegar a sua não existência. Por esse motivo, eu acredito que o personagem histórico Jesus tenha, de fato, existido, mas não como um deus e, sim, como um homem comum à frente do seu tempo. Nada que seja muito superior a nomes como Maomé, Gandhi, Mandela ou Buda.


"Tudo aquilo que pode ser afirmado sem evidências, pode ser descartado sem evidências" (Christopher Hitchens)

Deuses astronautas
O problema com a teoria lançada por Erich von Däniken é a mesma das religiões: os deuses só se apresentavam no passado e em situações duvidosas. Não há qualquer evidência que convença um cético de que esses alienígenas estiveram aqui no passado e tenham ajudado a construir a história humana. Talvez homens como Maomé ou Cristo tenham sido híbridos alienígenas, mas onde estão as evidências que sustentam essa afirmação?